As trincas da Vida

aivanhov sol

Você se magoa com facilidade? É vingativo? Em caso positivo, tome cuidado, pois junto com a mágoa e a vingança sempre anda o mau-humor. Juntos, eles formam a trinca das emoções grossas e compõem a base da personalidade dos espíritos imaturos emocionalmente. Em geral, quem anda com essa trinca emocional dentro de si acaba sendo “trincado” por ela e, por isso, comete loucuras.

Os atos loucos podem trazer conseqüências imprevistas que, por sua vez, podem trazer resultados desagradáveis. Estas últimas, conseqüentemente, trazem sofrimento. E, convenhamos, quem procura sofrimento não é um tolo?

Portanto, largue essa “trinca de trevas conscienciais” e passe a ter dentro de si a “trinca de luz cósmica”. Chame a alegria, a paz e a coerência para viverem com você.

Para viver com a “trinca luminosa” é necessário não ter mágoa na consciência e saber perdoar. Não sei se você sabe, mas perdoar não é questão religiosa, como muitos pensam. Não é nem mesmo questão de consciência cristã, como muitos asseveram. É questão de inteligência mesmo, e inteligência é característica mental de toda consciência relativamente evoluída, não pertence a nenhuma religião ou raça. Quem perdoa não se nivela com o agressor e, naturalmente, não se desequilibra.

A “trinca luminosa” não está pedindo que você ame quem lhe prejudica. Ela sabe que, em seu estágio evolutivo atual, isso é quase impossível. Mas ela sabe também que, mesmo não sendo ainda um “cidadão civilizado cosmicamente”, você já é capaz de, pelo menos, não sentir tanto ódio e não revidar.

Provavelmente, você deve estar se perguntando, ao ler essas linhas, como fazer para vencer essa “trinca trevosa” tão difícil (para não dizer impossível, no seu entender). Pois bem, existe uma técnica perfeita e, por incrível que pareça, baseada no principal instrumento da “trinca encrenqueira”: a raiva.

Ah! ah! ah! Sabe do que estou rindo? Estou simplesmente imaginando a sua expressão de espanto ao ler esse trecho. Você deve estar imaginando que sou doido, não é? Ou, quem sabe, talvez um obsessor desencarnado camuflado de “anjinho espacial”, mistificando uma idéia. Não preciso ser profeta desencarnado para prever sua reação. Conheço muito bem o ser humano, pois afinal, embora sendo atualmente um simples espírito desencarnado, também sou humano e sei que ser humano é barra pesada, não é? É tão barra pesada a limitação humana (mental, emocional e física), que a gente pensa que sabe tudo e que nosso intelecto é tão bom que só raciocina em cima dos padrões lógicos. Porém, será que o que é lógico para o ser humano, em um referencial tridimensional, será lógico para outro ser humano, em outro referencial dimensional ou espiritual?

Realmente parece ilógico eu dar a sugestão de se equilibrar usando a raiva, mas utilize o bom-senso e veja, através da exposição clara que farei, se não tenho razão.

Sabe por que um louco furioso só pode ser contido por uma camisa de força super-reforçada ou por uma cela muito bem fechada? Porque a raiva aumenta a força da pessoa temporariamente. Esse aumento é, às vezes, tão substancial que uma pessoa chega ao ponto de enfrentar, com fúria selvagem, várias outras ao mesmo tempo. Uma pessoa com raiva não raciocina, porque a energia do seu emocional animal, sediada no plexo solar, ascende pela coluna vertebral e chega até o cérebro, sede do mental, dominando e animalizando a consciência incauta que permitiu o seu avanço.

O amigo leitor pode observar que na hora em que está com raiva de alguma coisa, a vontade que o acomete (torço para que, felizmente, controlada) é a de destruir o que lhe causa aborrecimento ou os objetos que estiverem por perto (como se eles tivessem alguma coisa a ver com isso!). Finalmente, quando você se acalma, a sensação que resta é a de uma espécie de prostração que se afigura como uma pressão no peito (sede da nossa placa emocional, ligada ao chacra cardíaco), deixando-nos arrasados emocionalmente. Isso ocorre porque a raiva utiliza como instrumento a energia destinada ao equilíbrio psico-físico da criatura, em um verdadeiro “incêndio emocional” do campo vital.

Já pensou se todo esse potencial energético movimentado pela raiva pudesse ser utilizado para vencer a “trinca trevosa”? Pois é essa a técnica que vou lhe ensinar agora:

Fique com raiva de sua mágoa. Brigue com ela da mesma maneira que você briga com os outros. Vingue-se dela deixando a paz penetrar em sua consciência. Lembre-se: “Uma consciência em paz consigo mesma estará em paz em qualquer lugar do universo interdimensional”.

Fique com raiva de seu mau-humor. Quebre-o da mesma maneira que você tem vontade de quebrar as coisas, na hora em que está aborrecido com algo. Vingue-se dele, deixando a alegria tomar conta de você. Lembre-se: “O bom-humor é a principal característica do espírito inteligente e sagaz”.

Fique com raiva da vingança. Faça com ela a mesma coisa que ela faria com você, isto é, desgaste-a. Vingue-se da vingança, esquecendo-a e esquecendo quem lhe prejudicou. Deixe que a vida tome conta dessa pessoa. A vida é sábia e sabe como aplicar a lição a cada um de seus filhos. Porém, não faça como muitas pessoas, que vêem nas leis da vida uma forma de vingança contra a pessoa que as prejudicou. Muitas até dizem: “Vou esquecer tal pessoa porque a vida há de me vingar, fazendo ela pagar pelo que me fez”. Não é nesse sentido que se deve pensar. A vida cuidará da pessoa, não para puni-la, mas sim para reequilibrá-la e fazê-la evoluir, através de variadas experiências.

Portanto, seja inteligente e fique com a coerência. A vingança ficará furiosa e, como cobra venenosa que é, acabará se mordendo de raiva, passando para si mesma o próprio veneno. que, por sua vez, acabará por extingui-la.

Espero que essas técnicas possam ajudá-lo a crescer consciencialmente. E não se esqueça: tenha raiva somente da “trinca raivosa”. Porém, se você acha pouco, não direcione sua raiva contra esse pobre escritor espiritual. Fique com raiva de si mesmo e vá crescer, “só de raiva”.

Para terminar, um pequeno verso:

“Se você não gostou, não faz mal.

Me procure fora do corpo, eu lhe enrolo no astral.”

(Dedico este manuscrito a todas as pessoas bem humoradas, pois elas são portadoras de um dom divino: o sorriso).

 

– Omraam Mikhaël

Aïvanhov –

(Recebido espiritualmente por Wagner Borges)

my site my site my site